Entre no combate ao mosquito antes que seja tarde demais.

A dengue tem feito muitas vítimas no nosso estado e no Brasil.

Só em 2019, a dengue já matou 62 pessoas no país nas primeiras 11 semanas, como apontam dados do Ministério da Saúde divulgados pela Agência Brasil*. São mais de cinco mortes por semana. Mais do que nunca, precisamos combater o mosquito de todas as formas. É preciso ter muito cuidado para armazenar água. Confira se você está fazendo tudo que é possível. O inimigo é pequeno, mas perigoso.

*Fonte: Agência Brasil/Ministério da Saúde.

SINTOMAS

Os principais sintomas da dengue são:

  • Febre alta
  • Dor de cabeça, principalmente na região ocular
  • Dores nas articulações e nos músculos
  • Cansaço excessivo
  • Vômito e enjoo
  • Tonturas
  • Dores fortes e prolongadas no abdômen
  • Muita sede ou boca muito seca

Atenção aos sinais da dengue hemorrágica:

  • Dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdômen
  • Vômitos persistentes
  • Acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, derrame pericárdico)
  • Sangramento de mucosa ou outra hemorragia
  • Aumento progressivo do hematócrito
  • Queda abrupta das plaquetas

ATENÇÃO! Evite a automedicação. Em caso de algum sintoma, procure o Posto de Saúde ou um hospital mais próximo.

A MELHOR MANEIRA DE COMBATER
É EVITAR A REPRODUÇÃO DO MOSQUITO

85% dos criadouros

são encontrados nas lavanderias. Observe atentamente a área onde você lava a roupa e veja se não está havendo risco de criadouros.

Cuidado com piscinas, lagos caseiros e aquários

Se seu lago ou aquário tem peixes, não se preocupe. Esses animais são predadores de formas aquáticas de mosquitos. O perigo maior é com as piscinas que não são limpas com frequência, bem como com aquários que estão sem peixes, apenas com água. Nesse caso, jogue fora a água ou cuide da limpeza regularmente.

Evite o acúmulo de água

Jogue fora pneus velhos, vire garrafas com a boca para baixo. Não se esqueça também de lavar a vasilha de água do seu bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas. Qualquer pequeno recipiente que junta água pode ser perigoso, pois as larvas do mosquito podem ser encontradas também em pequenas quantidades de água. Fique atento.

PRESTE ATENÇÃO NOS RALOS

Atenção aos ralos pouco utilizados, que acabam juntando água e com isso se tornam criadouros de mosquitos. Nesse caso, o ideal é que ele seja fechado com uma tela ou que seja higienizado com desinfetante regularmente.

Abra as portas e janelas quando o carro fumacê estiver passando

Quando o carro de combate à dengue passar, é importante deixar as portas e janelas abertas para que o produto possa fazer efeito e combater o mosquito.

Cuidado com os vasos de plantas

Troque regularmente a água dos vasos e lembre de cuidar também dos pratos que coletam a água que sobra da rega. Você pode eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia.

Limpe as calhas

Calhas e canos precisam ser limpos sempre, pois folhas podem causar entupimentos, contribuindo para criar reservatórios ideais para o desenvolvimento do mosquito.

Lave recipientes que juntam água, paredes de lavanderias e tanques com sabão

Não basta jogar fora a água. É preciso lavar com sabão para retirar os ovos que vão sendo depositados nos recipientes.

O CICLO DO MOSQUITO

O ciclo de vida do mosquito da dengue compreende quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. Os ovos são depositados em lugares quentes e úmidos, preferencialmente em lugares próximos à linha d’água, em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou em qualquer local com água limpa parada. O macho alimenta-se de seivas de plantas. A fêmea, no entanto, necessita de sangue humano para o amadurecimento dos ovos, que são depositados separadamente nas paredes internas dos objetos, próximos a superfícies de água, local que lhes oferece melhores condições de sobrevivência.
Cuide para que não haja recipientes com água onde você mora, trabalha ou nas imediações. Fale com seus vizinhos. Vamos cortar o ciclo do mosquito.

Fonte: Ministério da Saúde.